Toda Mídia
Toda Mídia
 

Tem eleição no domingo

Sobre o célebre vídeo, o diálogo entre os apresentadores Marcos Mion e Daniela Cicarelli, ao vivo na MTV, enquanto corria o debate na Globo:
_ O povo quer saber!
_ Mas, espera aí, você acha que esse assunto é importante? Mais importante do que a eleição no domingo?
_ Eleição? Com a proporção que esse assunto tomou, é capaz de nem mais ter eleição. O país parou. Está todo mundo esperando para ver Daniela Cicarelli se pronunciar.
_ Então eu vou falar.
_ Fala de uma vez. Tem eleição no domingo e o povo precisa voltar a tomar conta das suas próprias vidas.
_ Eu não acredito, vocês vão tomar conta das suas vidas e deixar eu viver a minha em paz? Muito obrigada! Então vou falar. Segura essa... Os próximos apresentadores, Negra Li e Giovane do vôlei!
E ficou por aí. Mais, na Folha Online. Abaixo, clique na imagem para assistir ao trecho da transmissão do VMB, no You Tube.
 

Escrito por Nelson de Sá às 10h56

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Não sabia disso, não"

De Mônica Bergamo (assinantes), sobre o candidato que mais atacou a corrupção e ameaçou até com impeachment, ontem no debate:
_ Na lista de pessoas já ajudadas por Paulo Okamotto aparece _surpresa!_ Cristóvam Buarque. Em 94, o então governador de Brasília foi pivô de um dos primeiros escândalos petistas, quando concordou em receber R$ 200 mil da Odebrecht para cobrir buracos da campanha. A "solução Odebrecht"  foi dada pelo tesoureiro da campanha de Lula. Ele mesmo, Okamotto. Cristóvam diz que "não sabia disso, não". Segundo ele, a empreiteira contribuiu porque "queria apoiar alguém que levantasse a bandeira da educação". Em 94, a Odebrecht integrava o consórcio de empresas contratadas para construir o metrô de Brasília.

Escrito por Nelson de Sá às 10h09

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sem edição

Para todos os efeitos, o que importa é audiência e repercussão _grandes, segundo Ibope e Globo. Foram redondos 30 pontos de média na Grande SP. E o "Jornal da Globo", quase sem pausa, mostrou que "o debate foi assistido em todo o Brasil":

_ No Recife, mais de 100 se reuniram num restaurante no bairro da Encruzilhada. Num bar de Belo Horizonte, cerca de 60 acompanharam em três monitores. Em Manaus, foram montados telões em algumas praças. Em Porto Alegre, as pessoas acompanharam em bares da região central da cidade. Em Brasília, cerca de 60 acompanharam num bar na Asa Sul.

O "Bom Dia Brasil" evitou a edição de trechos, antes destacando que "o presidente Lula, candidato do PT, não compareceu e enviou carta três horas antes, mas eleitores de todo o Brasil acompanharam o debate". Observou coisas como "cada um defendeu suas idéias com estilo próprio". O comentarista político que restou, o lendário Alexandre Garcia, se restringiu a aviso genérico sobre o domingo do voto, nada do ausente.
 
No horário, na Record, até onde foi possível assistir, nada de debate.

Escrito por Nelson de Sá às 09h15

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Alvo, alvo, alvo

Bom dia. A coluna de hoje, "Sem lustro", aborda editoriais de publicações estrangeiras, com conselhos para um segundo mandato de Lula (assinantes Folha e UOL). E o comentário "Na escolinha de Bonner, todos contra um" trata do debate encerrado nesta madrugada, na Globo.

Abaixo, as primeiras páginas dos principais jornais (clique nas imagens). Folha, "O Globo" e "O Estado de S. Paulo" concentram manchetes e fotos na ausência de Lula no debate, último evento capaz de levar a um segundo turno. Outras primeiras páginas do Brasil e do mundo, aqui.

 

  

Escrito por Nelson de Sá às 08h00

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lula v Chávez

A genuinamente liberal "Economist", que nunca escondeu seu apreço por Lula, agora cobra na capa "Quem lidera a América Latina?", ele ou Chávez. Em suma, a própria revista responde que "Lula perdeu terreno para a corrupção, o torpor econômico e para seu rival venezuelano".

Leia mais no blog de Sérgio Dávila e na BBC Brasil.

Escrito por Nelson de Sá às 15h29

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O colunista e o blogueiro

O site da "Veja" lança seu áudio grátis com um diálogo entre o colunista Diogo Mainardi e o "blogueiro de Veja on-line" Reinaldo Azevedo. E destaca uma passagem:

_ Eu vou me declarar golpista.
_ Eu acho que vai dar segundo turno. E se não der a gente vai pro tapetão.

Pela conversa, os dois concordam em quase tudo, mas o colunista diz ao blogueiro a certa altura, mais de uma vez, "pára de falar!".

Escrito por Nelson de Sá às 13h30

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pobres, nordestinos e negros

Maria Inês Nassif, na coluna "Porque são pobres, nordestinos e negros", o texto "mais lido" de hoje no site do "Valor Econômico":

_ Talvez por embutir corte social inédito, este processo eleitoral transborda preconceitos. Primeiro, a análise do voto do pobre descolado de formadores de opinião derivou para o "voto vendido" por um prato de comida, o Bolsa-Família. Depois, o voto nordestino foi colocado no saco do coronelismo. Agora, a última é que negros dão menos importância à ética que brancos _e por isso tenderiam a Lula... Se a elite aprendeu só esse tortuoso travo racial, de um processo eleitoral rico pelo que tem de novo, pobre deste país.

Depois de refutar com números os preconceitos, um a um, ela sugere:

_ Seria o caso de essa elite começar a responder outras perguntas. A primeira: por que ocorreu corte social tão profundo nas eleições? A segunda: por que os partidos não acompanharam o movimento, muito pelo contrário, acabaram por facilitar a personalização do corte na figura do presidente? A última: por que essa elite, em vez de fazer a reflexão sobre a realidade social, assume um discurso que pretende criminalizar a pobreza por uma escolha democrática? A escolha do pobre não é crime. Reflete anseios, um descaso secular, uma distância profunda dos ricos. É uma escolha racional.

Escrito por Nelson de Sá às 12h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"O homem da mala"

A Folha deu a notícia sob o título "Ex-assessor de Mercadante entregou dinheiro, diz PF" (assinantes), mesmo título do link na Folha Online, com acesso livre e desde logo o "mais lido" do site. Abrindo o texto, "Hamilton Lacerda foi quem entregou a mala com dinheiro no hotel Ibis, em São Paulo".
 
Já o "Bom Dia Brasil" saiu dizendo na transcrição, mas não no vídeo livre, que "a Polícia Federal já sabe: o homem da mala de dinheiro é Hamilton Lacerda, petista afastado da campanha de Aloizio Mercadante em SP".
 
A Folha acrescenta que "o delegado Diógenes Curado Filho, que preside as investigações, deve ouvir Hamilton Lacerda ainda hoje em São Paulo", e "o procurador em Cuiabá Mário Lúcio Avelar deve acompanhar".
 
 
Do Blog do Zé Dirceu, agora há pouco, no post "Continuam as especulações no caso do dossiê", com aparente crítica, mas talvez não:
_ A Folha traz a matéria "Ex-assessor de Mercadante entregou dinheiro, diz PF", citando Hamilton Lacerda, que fazia parte da campanha do senador ao governo de São Paulo. É um caso clássico de vazamento em um inquérito que está sob segredo de Justiça. Também na Folha, "Mercadante afirma que não foi informado".

Escrito por Nelson de Sá às 10h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mário Lúcio Avelar

Em "O Globo" (cadastro), Tereza Cruvinel escreve, sob o título "Para quê":

_ Mário Lúcio Avelar sabe que nenhum eleitor pode ser preso, salvo em flagrante delito, na semana que antecede o pleito. Sabe, mas pediu... O procurador só faz aumentar a fama de agir parcialmente.

Na Folha (assinantes), Janio de Freitas vai além, sob o título "Salvo":

_ O pedido de prisão feito pelo procurador Mário Lúcio Avelar tem algo ainda mais estranho do que sua ocasião, quando prisões desse gênero estão proibidas. A relação do procurador não incluiu o envolvido que não tem ligação com o PT, mas com Barjas Negri, ex-ministro da Saúde no governo Fernando Henrique... Um dos figurantes na lista foi citado apenas uma vez em todo o caso, sem que sequer essa citação se comprove fundada. Já Abel Pereira, apontado por Luiz Antonio Vedoin como intermediário para liberação de verbas da Saúde, figura em gravações, já se contradisse sobre idas ao ministério de Barjas e estaria entre recebedores de comissões documentalmente comprovadas.

De sua parte, em alto de página no jornal "O Globo" de hoje, com foto, "Procurador acusa PT de tentar proteger Freud".

Escrito por Nelson de Sá às 09h14

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Fora imprensa!"?

Fernando Canzian, em "A vez do 'Fora imprensa!'" (assinante Folha/UOL):
_ Lula ataca o "partidarismo da imprensa" e exige "cobertura republicana". Os petistas falam em "golpismo" da mídia. Principalmente depois que a gasolina do dossiê ateou fogo à campanha. O que esperavam? Que a mídia perdoasse o mensalão e o dossiê? Que não expusesse a turma de quinta que ronda o Planalto? O presidente "vítima" da imprensa é o mesmo que pedia o nada republicano "Fora FHC!". O que quer Lula agora? "Fora imprensa!"?... Na reta final, criticar a mídia virou saída fácil de quem tem medo das próprias respostas e não do calibre das perguntas.

Escrito por Nelson de Sá às 08h16

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Caiu para 5, subiu para 5

Bom dia. A coluna "Toda Mídia" aborda a divulgação das pesquisas Datafolha e Ibope ontem no "Jornal Nacional" e nota que a divergência se tornou convergência, quatro dias depois (assinantes Folha e UOL).

A seguir, as primeiras páginas dos principais jornais (clique nas imagens). Na Folha, logo abaixo da manchete, "Diferença do presidente para a soma dos adversários caiu de 8 para 5 pontos, diz Datafolha". No jornal "O Estado de S. Paulo", também logo abaixo da manchete, "Diferença de Lula para a soma dos demais candidatos subiu de 3 para 5 pontos no Ibope". "O Globo" e "Valor", fora das manchetes, anunciam "Ibope e Datafolha dão vantagem para Lula" e "Pesquisas dão vitória para Lula".

Outras primeiras páginas de jornais do Brasil e do mundo, aqui.

 

  

Escrito por Nelson de Sá às 07h49

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vazio e mistificação

Vinicius Torres Freire, hoje na coluna "Um candidato à procura de um autor", sobre o tucano Geraldo Alckmin (assinantes Folha e UOL):
_ "Levante-te e anda", disse a facção facinorosa do PT à candidatura moribunda. E ela andou. Tratava-se de uma campanha, a tucana, que não apresentara nenhum mote que chamasse a atenção. Agora, em vez de substantiva, ela se faz por oposição adjetiva: "tudo isso que está aí" é coisa do "demo"... Qual a carta de intenções? Sendo Alckmin a imagem insondável do puro espírito gerencial, não se sabe muito. O país vai crescer 6%, diz "Geraldo". Como? "Com trabalho, seriedade e competência, sem discursos vazios nem mistificação." Mistificação? Nas reformas trabalhista e previdenciária de "Geraldo", ninguém vai perder direitos. Discurso vazio? "As propostas fundamentam-se na idéia de que o processo de desenvolvimento é expressão da vontade política de inúmeros atores com interesses distintos, que necessitam ser conciliados"...

Escrito por Nelson de Sá às 10h59

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Meu Deus!

Ancelmo Góis, na nota "Jogo pesado", hoje em "O Globo" (cadastro):

_ O arcebispo do Rio, d. Eusébio Scheid, aquele que disse que Lula não é católico e sim caótico, joga pesado no campo político. Uma fiel católica ouviu na missa de sábado em Petrópolis e domingo em Ipanema o mesmo sermão. Os padres chamaram Jandira Feghali de "assassina de crianças" pela posição a favor do aborto. Meu Deus!

Escrito por Nelson de Sá às 10h32

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vai ou não vai

Aécio Neves não foi ao debate em Minas. Em nota, justificou-se com os ataques que vem recebendo do adversário Nilmário Miranda, do PT.

José Serra foi ao debate em SP, mas evitou atacar Lula diretamente. No final, alta madrugada, achou por bem dizer que compareceu para não "dar pretexto para eventualmente o presidente Lula não ir ao debate".

 
Ainda madrugada, no "Bom Dia SP", Eduardo Suplicy dizia que Lula está "propenso" e, se for mesmo, "vai consolidar a posição nas pesquisas":
_ Eu disse ao presidente, "se todos baterem, a atenção se volta a você, que terá oportunidade de falar". Quem ofende sai perdendo.
É também um dos argumentos usados por Elio Gaspari (assinantes Folha e UOL). No "Painel", Renata Lo Prete informa que as chances de Lula comparecer estão "na casa dos 50%, nem mais nem menos do que isso".

Escrito por Nelson de Sá às 08h57

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Velhos companheiros

Bom dia. A coluna de hoje, "Quinze, oito, três", aborda o contraste entre Sensus, Datafolha e Ibope, a dias da eleição (assinantes Folha e UOL). E o comentário "Em fim de campanha, 'nada contra' ninguém" avalia que José Serra evitou atacar Lula frontalmente _e Aloizio Mercadante e Orestes Quércia evitaram atacar Serra frontalmente, ontem no debate.

Abaixo, as primeiras páginas dos principais jornais (clique nas imagens). Na Folha, manchete para a origem dos dólares, mais "Rivais de Serra atacam segurança". Em "O Globo" (cadastro) e "O Estado de S. Paulo", manchete para as prisões que só valem depois da eleição, mais "Dossiê invade debate em São Paulo", no jornal carioca, e "PF já sabe tudo sobre dólares do PT, mas não conta", no paulista. No "Valor", fora a manchete sobre a Cofins, o perfil de Lula, hoje "longe dos velhos companheiros".

Outras primeiras páginas de jornais do Brasil e do mundo, aqui.

 

  

Escrito por Nelson de Sá às 08h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Tracking"

Na sempre espantosa CNT/Sensus, na Folha Online, "Alckmin cresce 7,9 pontos, mas Lula venceria no primeiro turno". Para quem não se agüenta, amanhã tem Datafolha e Ibope, sexta tem Vox Populi, sábado tem mais Datafolha e Ibope. E domingo tem eleição. Com boca-de-urna às 19h.
 
Aqui e ali, tem ainda o "tracking" plantado na blogosfera. A tal ponto que a Justiça Eleitoral agora "multa blog por divulgar pesquisa sem registro".

Escrito por Nelson de Sá às 12h05

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lula como Hugo Chávez

Em alto de página, "O Globo" relata que "Ataque de Lula à imprensa provoca reações": "Jornais, TVs e revistas estariam exagerando nos relatos [sobre a crise do dossiê]? Não, na opinião de jornalistas e políticos ouvidos pelo 'Globo'". Alberto Dines, por exemplo:

_ O presidente quer virar a mesa. Eles querem criar uma tensão. Isso vai ter conseqüências terríveis. Percebe-se que o objetivo é prejudicar a imprensa, que tem se comportado muito bem. Ele quer criar um ambiente de cizânia, de suspeição. Por mais que queira se separar de Hugo Chávez, ele é igual ao Hugo Chávez.

Agora no site da revista "Veja", o blog de Reinaldo Azevedo também relaciona Lula a Chávez, ao postar sobre um venezuelano com quem debateu, ontem na Associação Comercial de São Paulo:

_ Alejandro Peña Esclusa foi candidato em 98 e é hoje da Força Solidária, que se opõe à implementação da ditadura chavista. É autor de "O Continente Esperança", em que aponta o avanço do autoritarismo na América Latina. O movimento bolivariano, como se sabe, integra o Foro de São Paulo, fundado por Lula e por seu agora coordenador, Marco Aurélio Garcia... A esquerda, incluindo a brasileira, acusa Esclusa de “golpismo”. Não soa familiar? “Golpismo” é o outro nome que eles dão à pluralidade democrática.

Escrito por Nelson de Sá às 10h27

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

No Brasil ou em São Paulo

No monitoramento de mídia da BBC Brasil, dia de Lula, com destaque para os franceses "Le Figaro" e "Le Monde", que escrevem sobre o "Brasil menos desigual". E para uma reportagem, mais uma, do britânico "The Independent" sobre a violência _e a desigualdade_ em São Paulo.

Escrito por Nelson de Sá às 09h32

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dossiê como "mero elemento de campanha"

Em alto de página na Folha, o colunista Janio de Freitas escreve hoje sobre a "Fumaça contra o fogo" (assinantes Folha e UOL):
_ O revestimento eleitoral do dossiê Vedoin, em vez de esvaziar com sua descoberta pela Polícia Federal, cresceu tanto que, a essa altura, está reduzido a mero elemento de campanha. Com a repetição sem fim das poucas verdades apuradas, acusações no varejo e suposições a granel, instaurou-se uma barafunda em que ficam perdidas a noção dos crimes e a presunção das responsabilidades. Pelo visto, só depois das eleições fatos e hipóteses poderão superar as pressões e explorações _e tomar o caminho conveniente à sua apuração... O fato é que dos jornais, da TV e das rádios sai tanta fumaça que não se consegue ver o fogo.
E Bernardo Carvalho, sobre o "tempo de cinismo e imobilização":
_ A indignação dos corruptos que aderem ao lema de última hora, fazendo da guerra à corrupção uma palavra de ordem eleitoreira, só ajuda a privar de valor e sentido o próprio combate à corrupção, uma vez que já não se pode confiar em palavra nenhuma. Se as palavras não correspondem às coisas, se foram reduzidas a estratégia de propaganda (à direita como à esquerda), só resta combatê-las em bloco, o que seria contra-senso. Nesse contexto imobilizador, ficamos encurralados entre o cinismo e a crença (daí a sedução suicida, embora legítima e justificada, do voto nulo).

Escrito por Nelson de Sá às 08h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Deus e o diabo

Bom dia. A coluna "Toda Mídia" retrata o "esforço de mídia" de Lula na reta final para responder, pela TV e sobretudo pelo rádio, aos estragos do dossiê (assinantes Folha e UOL). Estaria pensando até em ir ao debate na Globo. A coluna aborda também como a blogosfera atinge o pico como moda, agora que candidatos de Hillary Clinton nos EUA a Lionel Jospin na França _e Geraldo Alckmin no Brasil_ supostamente blogam.

Abaixo, as primeiras páginas dos principais jornais (clique nas imagens). Na Folha, além da manchete, FHC ecoa Hugo Chávez e chama Lula de "o demônio". Em "O Globo" (cadastro), além da manchete, a notícia de que o Orkut, finalmente, "retira do ar sites com crimes". No "Valor", além da derrocada da Bolívia, o perfil de "Alckmin, o candidato previsível".

Outras primeiras páginas do Brasil e do mundo, aqui.

 

  

Escrito por Nelson de Sá às 07h59

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Globo e o vale-tudo

Em destaque no "Fantástico" de ontem, agora com vídeo grátis e, na transcrição da reportagem:
 
_ Você confiaria em quem joga sujo para ganhar de qualquer jeito? Na capoeira, o lutador desonesto é malvisto e evitado. “Quando o cara é desonesto, a gente já entra na roda sabendo que boa coisa não vai sair dali”, comenta um capoeirista. “O grupo já se manifesta de forma a excluir a pessoa”, acrescenta outro. No próximo domingo, dia 1º de outubro, nós vamos às urnas escolher presidente, senador, governador e deputados federal e estadual. É neste momento decisivo que alguns candidatos partem para o vale-tudo...

Escrito por Nelson de Sá às 11h15

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Não aceita crítica

Sobre Cristo, mito e perseguição, de Luis Fernando Verissimo, no Terra:

Escrito por Nelson de Sá às 10h52

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Longa perseguição

Elio Gaspari (assinantes Folha e UOL) critica "o dispositivo de mídia do Planalto", melhor dizendo, "o dispositivo de mídia do professor Berzoini". Xico Sá, sob o título "Imprensa paulista preserva a fauna tucana", critica
a "falta de jornalismo equilibrado, que mostre a podreira de todos".

Já o repórter Chico Santos, no "Valor", descreve seu diálogo com Heloísa Helena "após longa perseguição" de Santo André até São Paulo. "Sem conseguir se desvencilhar do carro da reportagem, a senadora desceu de seu veículo e partiu para a interpelação":
_ Você está me seguindo?
_ Claro, senadora, eu não disse para a senhora que estava fazendo uma reportagem sobre a sua campanha?
_ Mas eu não quero ser seguida. Tenho um compromisso particular, vou visitar uma pessoa doente e não quero ser seguida.
_ Tudo bem, senadora, mas a informação passada foi de que a senhora teria um compromisso marcado por Brasília. Não se preocupe, eu só quero reportar sua campanha.
_ Só tem uma raça pior do que jornalista: é político.

Escrito por Nelson de Sá às 10h30

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Embrulhado na armadilha

Da coluna de Roberto Pompeu de Toledo (assinantes Abril):
_ Quando se pensa que, pior do que com Lula, pode ser sem ele, tem-se o tamanho da arapuca a enredar o país... Tem-se atribuído a popularidade a razões que vão do Bolsa-Família à desinformação da maioria. É mais que isso. Lula não é um político. Não é nem mesmo uma pessoa. É um mito. É o retirante nordestino e operário metalúrgico sem um dedo que virou presidente, discursa na ONU e passeia de carruagem com a rainha. Vá se derrotar um mito! Vá se destituir Hércules depois de ele ter cumprido os 12 trabalhos!... O Brasil é culpado pela criação do mito. Não fossem suas mazelas, a começar pela pobreza, ele não encontraria terreno propício. Agora, vê-se embrulhado na armadilha que o mito continha.
E da coluna de Fernando de Barros e Silva (assinantes Folha e UOL): 
_ Lula radicaliza na direção do messianismo, cria para si fantasias de onipotência, flerta a sério com sandices. Mas não está só na sua regressão. Alckmin, desde sempre um candidato do PFL alojado no PSDB, se revelou um vazio de idéias cercado de gente e referências da província. Movida a ressentimentos, Heloísa é não-alternativa de poder. É bom que exista como candidata e ótimo que não tenha chances. E Cristovam errou: tem plataforma de deputado federal. Sem querer, o TSE acertou ao associar o eleitor a um avestruz.

Escrito por Nelson de Sá às 08h51

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jesus Cristo, Tiradentes, Lula

Bom dia. A coluna "Toda Mídia" de hoje, "Números, Números" (assinantes Folha e UOL), retrata a confusão na cobertura das eleições no exterior, com o contraste entre Datafolha e Ibope no fim de semana. Sobre a questão, o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, escreve aqui.

Abaixo, as primeiras páginas dos principais jornais (clique nas imagens). Na Folha, além da manchete e do futebol, destaque para "PF vai pedir quebra do sigilo telefônico de cinco petistas". Em "O Globo", "Indústria de computador bate recorde". Em "O Estado", "Crédito bate recorde de R$ 200 bi e perde fôlego". O "Valor" traz "tecnologia da informação" na manchete e, sobre a campanha, "Heloísa Helena prega para poucos".

Outras primeiras páginas do Brasil e do mundo, aqui.

  

  

Escrito por Nelson de Sá às 07h45

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores
Blog da coluna "Toda Mídia" (assinantes Folha e UOL), de segunda a sexta, pela manhã, escrito pelo jornalista Nelson de Sá.

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha Online.