Toda Mídia
Toda Mídia
 

Propaganda eleitoral, da TV para a internet

A TV paga bate recorde com o horário eleitoral, informa Daniel Castro na Folha. No primeiro mês, a audiência entre 20h30 e 21h30 subiu 104%. Em 2004, o aumento foi de 96%.

A propaganda está causando também "estragos inéditos entre os que só têm TV aberta", que desligam (15%), migram para DVDs etc.

Por outro lado, escreve Rosanne D'Agostinho no UOL, "sem regulamentação, a propaganda eleitoral infesta a internet". Pela lei, "só poderia ser feita na página do candidato", mas YouTube, Orkut, Flickr são algumas das ferramentas usadas. Diz Carlos Ayres Britto, do TSE:

_ Fizemos pesquisas no mundo inteiro e o controle é falho. Se o direito não tem condições de se tornar eficaz, que se libere o uso.

Segundo Fabíola Reipert, do "Agora", a Record vive debandada no jornalismo. Entre os que já teriam saído, "a namorada de Paulo Henrique Amorim", apresentador do "Domingo Espetacular".

Encerrada a invasão editorial espanhola, o grupo português Leya acaba de contratar Pascoal Soto, ex-diretor da espanhola Planeta e responsável por best-sellers como "O Mago", informa Mônica Bergamo na Folha.

O Leya, "que recentemente comprou 13 editoras em Portugal, ambiciona se tornar o maior grupo de língua portuguesa do mundo". Entre os alvos por aqui, as editoras Record, Átila e Rocco. A Cia. das Letras recusou.

E na segunda, noticia o site Imprensa, Lula assina na Academia Brasileira de Letras o Acordo Ortográfico dos Países de Língua Portuguesa.

A coluna e o blog voltam na próxima segunda-feira.

Escrito por Nelson de Sá às 10h27

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dia de caos

"NYT", "WP" e "FT" abrem com o "dia de caos" em Washington, destaque do primeiro. O acordo foi derrubado por "bloco de renegados" republicanos da Câmara, avalia o segundo. Foi "disputa política", sublinha o terceiro, responsabilizando os republicanos "hard core".

Os três dão como segundo destaque a tomada do Washington Mutual pelo governo, que o revendeu em pedaços ao JP Morgan.

Já o "WSJ" de Rupert Murdoch põe o WaMu em manchete de lado a lado. E embaixo noticia a "disputa dos líderes" democratas e republicanos que teria levado "confusão" ao plano "do Tesouro". Ressalta que "os republicanos encaminham plano alternativo".

 

 

Para as imagens originais, "NYT" ("enlarge this image") e "WP". Com acesso restrito, "WSJ" e "FT". "NYT" e "WP" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E "NYT", "WSJ" e "WP" no Newseum (por Estado americano, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 09h26

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A China continua

Na capa inteira de papel, na manchete e nas fotos do site, a China quase só tem olhos para a missão Shenzhou 7 e o primeiro passeio espacial, amanhã. No site, vídeos do lançamento e da cabine, via CCTV.

Ao fundo, porém, relata a situação de pouca "clareza" em Washington, onde os "conservadores" derrubaram o acordo já anunciado sobre o pacote. O primeiro-ministro Wen Jiabao ofereceu "cooperação" aos EUA e afirmou esperar "união mundial" para manter a estabilidade financeira.

Escrito por Nelson de Sá às 09h17

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A fonte seca

Entre fotos do encontro encenado por George W. Bush, Folha, "Globo" e "Estado" abrem com o plano travado pelos próprios republicanos, em "disputa eleitoral" ou "resistência ao uso de dinheiro público".

O "Valor" volta a soar o alarme sobre o crédito no Brasil, na manchete. "Depois de secar as fontes externas, a crise de liqüidez atinge em cheio as linhas de curto prazo em reais."

Folha, "Globo" e "Estado" destacam nas capas que a "Justiça britânica" bloqueou ontem US$ 46 milhões do Opportunity, no "Caso Dantas".

Também na Folha, "a pedido de Gilmar Mendes, presidente do Supremo, o juiz Fausto De Sanctis foi intimado pela corregedoria que apura erros e abusos de magistrados a se explicar sobre o motivo que levou a decretar a prisão do banqueiro Daniel Dantas".

 

 

Para as imagens originais, Folha ("fac-símile da capa"), "Valor" e "Estado". Com acesso restrito, "Globo". Folha, "Valor", "Globo" e "Estado" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E Folha, "Globo" e "Estado" no Newseum (por país, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 08h35

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A estratégia do Brasil

No Stratfor, imagem de uma praia do Rio com um navio militar do Brasil ao fundo

 

 

A viagem de Hugo Chávez à Rússia rendeu enunciados como "Vladimir Putin se diz pronto para cooperação nuclear com Venezuela", que seria "pacífica", e "diz que relação com América Latina é prioritária".

Mas foi no site Stratfor, referência global em "estratégia" geopolítica, que o conflito se mostrou mais claro, em reportagens como "Brasil: implicações da presença russa na América do Sul".

Há dias a região é prioritária para o Stratfor, que deu especial sobre o Brasil "definindo o caminho de sua ascensão", ele que agora "acordou para a necessidade de fortalecer sua postura militar, com a riqueza crescente a proteger". Daí a "Conexão França", também "cooperação".

Na União Européia, por outro lado, "os EUA vão perder seu status de superpotência". Foi o que vaticinou o ministro das finanças da Alemanha, centro financeiro da Europa, no britânico "Financial Times", ecoando de imediato por Drudge Report e a cobertura americana. Daqui a dez anos, "vamos olhar para 2008 como um momento de ruptura".

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 08h13

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

TV digital tenta outra vez

Ancelmo Góis, no "Globo", informa que Brasil e Japão "reabriram negociação para construir a fábrica de semicondutores prevista como contrapartida" na adoção do padrão japonês de TV digital. E Cristina Kirchner "avisou ao Itamaraty que vai adotar o sistema japonês".

Nos sites do setor, a notícia é outra. A TV digital não avança e agora, visando "criar escala de consumo a partir do desenvolvimento de sistemas de interatividade", as empresas brasileiras de software querem a "liberação" da especificação Ginga 1.0, destaca o Tela Viva.

A informação foi postada antes no Convergência Digital, dizendo que "o momento para a TV digital é decisivo" e não é hora de "o Brasil ficar a reboque na TV digital". Mas alerta que "tem o problema dos royalties".

Já nas colunas de celebridades de mídia, de Gente Boa a Zapping, a notícia do dia é outra, inteiramente. A "Playboy" assinou com Cláudia Ohana, 45, para novembro. A edição de 1985 com a atriz é dada por "clássica" pela "generosidade dos pelos púbicos", mas a revista diz esperar que "a área esteja um pouco mais devastada".

Escrito por Nelson de Sá às 10h58

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bush e McCain cercam Obama

O "NYT" abre com George W. Bush e John McCain. O primeiro, convocando reunião com o republicano e o democrata Barack Obama para hoje. O segundo, cobrando a suspensão do debate de amanhã. Obama, em foto abaixo dos dois republicanos, defende manter o debate.

O "WSJ" de Rupert Murdoch destaca que a "Crise suspende campanha" com a proposta do republicano. Também o "FT" sublinha McCain.

O "WP" foca as ações de Bush, com o discurso na TV e a convocação do encontro com McCain e Obama. Sobre o anúncio de McCain, o jornal diz que é um "jogador" e aposta no veredito dos eleitores e pode perder.

Para além do teatro político, o "NYT" questiona se vale, de fato, o pacote de US$ 700 bilhões. O "WSJ" afirma que a pressão por "restrições maiores" ganhou terreno e o plano avançou. E o "WP" noticia que ele já "toma forma" no Congresso, mas falta obter "apoio amplo".

 

 

Para as imagens originais, "NYT" ("enlarge this image") e "WP". Com acesso restrito, "WSJ" e "FT". "NYT" e "WP" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E "NYT", "WSJ" e "WP" no Newseum (por Estado americano, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 09h24

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hugo & Hu

Nas manchetes de papel e do site, o lançamento da missão dos "astronautas" ou "taikonautas" Jing Haipeng, Zhai Zhigang e Liu Boming, às 21h07, horário da China.

Em manchete lateral, o jornal destaca a assinatura de dois acordos, entre vários com a Venezuela de Hugo Chávez, em abraço sorridente com o presidente Hu Jintao. Um acordo eleva o fundo de investimento conjunto para US$ 12 bilhões, o outro amplia a cooperação sobre petróleo "em todas as fases e integrada", sublinhou Hu.

Escrito por Nelson de Sá às 09h12

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Grandes vs. pequenos e médios

Os quatro jornais abrem com a liberação de R$ 13,2 bilhões pelo Banco Central. "O objetivo é amenizar a concentração do dinheiro num pequeno número de instituições, o que tem prejudicado os bancos pequenos e médios", diz o "Valor", forçando a "circulação de recursos entre bancos".

"Beneficia bancos de pequeno e médio porte", afirma a Folha. Eles "corriam o risco de perder espaço no mercado", diz o Estado.

A Veja.com informa agora pela manhã que, "depois de uma tensa reunião com o Itaú, o presidente do Banco Bonsucesso desistiu de vender".

A Folha noticia que "delegados de São Paulo entregam cargos em solidariedade a chefe afastado pelo governo José Serra em razão da greve na Polícia Civil". Foram 16.

E o "Estado" destaca que o "PCC já é o maior fornecedor de drogas para os morros do Rio". É que foi "apreendida no Rio a contabilidade do narcotráfico" com o distribuidor de São Paulo.

 

 

Para as imagens originais, Folha ("fac-símile da capa"), "Valor" e "Estado". Com acesso restrito, "Globo". Folha, "Valor", "Globo" e "Estado" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E Folha, "Globo" e "Estado" no Newseum (por país, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 08h32

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O truque

O site Talking Points Memo se perguntava no início da noite, sobre a repercussão de mídia: "O truque está funcionando?".

"WSJ" e Fox News, de Rupert Murdoch, insistiam ainda em abrir com a "suspensão" da campanha por John McCain. Mas "NYT" e "WP" já traziam em manchete a resposta de Barack Obama, mantendo o debate.

E o site Politico ressaltava a opinião de um republicano, sobre a suposta suspensão, "Oh, quem foi o idiota que apareceu com esse truque?".

O Drudge Report seguia com o republicano, mas acima da manchete trazia a informação de que o apresentador David Letterman, suspensa sua entrevista de ontem com McCain, havia gravado piadas como "O que você vai fazer se, eleito, as coisas ficarem ruins? Suspender ser presidente?".

Não demorou e foi parar no YouTube, com a revolta do comediante ao saber _e mostrar imagens ao vivo_ de uma entrevista do republicano, no mesmo horário, na mesma CBS:

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 08h15

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Virada de ano

O site Propmark anuncia que a Globo saiu a campo para as "renovações contratuais" de publicidade para futebol, Fórmula 1, Roberto Carlos etc.

Ontem, segundo o site Imprensa e Lauro Jardim, último clube a resistir em ceder seus direitos de transmissão, "o Flamengo capitulou" e o Clube dos 13 fechou contrato de R$ 1,4 bilhão com a Globo.

E hoje Joaquim Ferreira dos Santos, no "Globo", diz que "o namoro com a Record não passou de paquera" e "Roberto Carlos renovou com a Globo".

Por outro lado, informa Daniel Castro na Folha, William Bonner largou o "Jornal Nacional", foi a Nova York, "mas não foi desta vez que trouxe uma estatueta" do Emmy Internacional. "O prêmio saiu para a Romênia."

Já a Record volta a exibir em outubro "30 Rock", série que levou o Emmy.

Record que, segundo Castro, passa a ter novo slogan, "TV de Primeira", em lugar de "A Caminho da Liderança". E que, segundo José Armando Vannucci na Jovem Pan, inicia projeto de reestruturação, com Douglas Tavolaro, do jornalismo, assumindo "poderes ampliados".

A rede abre as comemorações de seus 55 anos no sábado, registra Flávio Ricco, e na segunda-feira transmite um "Repórter Record" sobre si mesma. Via Todo Canal, por outro lado, a cobertura do SBT sobre os 50 anos do grupo Silvio Santos, na última segunda:

Escrito por Nelson de Sá às 11h11

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O salvador

O "WSJ" abre foto e manchete de lado a lado para celebrar que o bilionário Warren Buffett vai entrar com US$ 5 bilhões no Goldman Sachs.

E destaca, como o "NYT", que a decisão é "um voto de confiança no sistema bancário". O "FT" dá manchete, mas sublinha que o dinheiro vai ajudar no processo de transformação em banco comum, com mais fiscalização, e "representa uma mudança na estratégia do veterano investidor", que há décadas não aplicava em instituições de Wall Street.

Os quatro jornais acompanham, ao fundo, a queda de braço entre a Casa Branca e o Congresso "furioso" com o pacote.

Na manchete do "WP", a pesquisa do jornal com a ABC que, "pela primeira vez, dá liderança clara a Barack Obama", 52 a 43, diante dos "temores econômicos" que já atigem os eleitores.

Já o "NYT" ressalta que o diretor da campanha de John McCain recebia da gigante Freddie Mac até o mês passado. E dá na capa a "photo-op" de Sarah Palin na ONU, joelhos à mostra, com Henry Kissinger.

Por outro lado, o jornal revela que comerciais de cunho racial contra Obama vêm sendo transmitidos sem parar em áreas de maioria branca.

 

 

Para as imagens originais, "NYT" ("enlarge this image") e "WP". Com acesso restrito, "WSJ" e "FT". "NYT" e "WP" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E "NYT", "WSJ" e "WP" no Newseum (por Estado americano, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 09h50

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Taikonautas ao espaço, sem crise

O "China Daily" abre foto no papel e dá manchete no site para a missão Shenzhou 7, que deixa a Terra amanhã, do centro Jiuquan, com taikonauta que deve realizar o primeiro passeio espacial do programa chinês na sexta.
 
Mas a manchete no papel ainda é o escândalo do leite contaminado, agora com a promessa de que reestruturar o sistema de coleta. Em destaque paralelo no site, a bolsa que segue volátil em Xangai e o crescente lobby dos exportadores por ajuda de Pequim.

Escrito por Nelson de Sá às 09h35

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Brasil vai perder o ritmo?

Folha, "Globo" e "Estado" abrem com o jogo de pressões entre Casa Branca e Congresso, nos EUA, sobre o pacote.

O "Valor" dá manchete para Octavio de Barros, do Bradesco, que "aposta em aumento de 8,5% no investimento no Brasil em 2009, em comparação com 14% este ano". O jornal acredita e já anuncia que "quebra o ritmo".

Por outro lado, a coluna Mercado Aberto destaca a pesquisa KPMG com 140 executivos de multinacionais da América Latina, mostrando que o "Brasil será o principal destino de investimento em 2009".

Da campanha, a Folha destaca que o petista que lidera para prefeito de Recife, a duas semanas da eleição, foi "vetado" por juiz eleitoral.

E o "Globo" afirma que o "demo" do Rio "entrou em crise com Cesar Maia" porque o prefeito quer apoiar Marcelo Crivella no segundo turno.

Em São Paulo, o "Estado" informa que a retaliação do governo estadual contra o líder da greve "abriu crise na cúpula da Polícia Civil". O diretor do Departamenteo de Inteligência pediu demissão.

 

 

Para as imagens originais, Folha ("fac-símile da capa"), "Valor" e "Estado". Com acesso restrito, "Globo". Folha, "Valor", "Globo" e "Estado" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E Folha, "Globo" e "Estado" no Newseum (por país, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 08h36

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"La crise? Demandez à Bush!"

O "Los Angeles Times" deu alto de página para afirmar desde uma siderúrgica em Itaguaí, no Rio, que o Brasil vai bem "em meio à crise americana". Que já não "pega pneumonia toda vez que os EUA tossem", em frase citada como de Lula. Que o país está "a salvo ao menos no curto prazo". E que já "perdeu até a afinidade com a América".

As tiradas presidenciais ecoam mundo afora. "Que crise? Vai perguntar para o Bush", da semana passada, foi parar no francês "Le Monde", "La crise? Demandez à Bush, c'est la sienne, pas la mienne!". Ressalta o prognóstico lulista de que seria pequeno o efeito no país.

Na americana "Time", que fez longa entrevista com o brasileiro às vésperas da viagem para Nova York, o enunciado ontem era "Brasil vive boom por seguir o caminho de Lula". No texto, citações tipo "God is Brazilian" e referências à nova classe média, à popularidade recorde etc.

Por outro lado, o "Christian Science Monitor" deu a longa reportagem "Emergentes são atingidos duramente pela crise de Wall Street". Logo abaixo: "Mas Rússia, Brasil e China têm dinheiro e crescimento interno para agüentar a tempestade".

E o "Financial Times" traz na edição de hoje, em sua série sobre o "alcance global" da crise, uma análise sobre a China. Avalia que tem "relativamente pouca exposição a bancos como Lehman", por "ver o mundo com prudência". Amanhã é a vez do Brasil.

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 08h15

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"CQC" vs. "Casseta & Planeta"

A coluna de Patrícia Kogut, hoje no "Globo", ironiza a OAB por questionar o personagem "Tinoco, o homem toco", suposto candidato em campanha, do programa "Casseta & Planeta", na Globo.

É informação de ontem do site Imprensa. A comissão de direitos humanos enviou uma carta ao programa descrevendo o personagem como "profundamente preconceituoso", em plena Semana do Deficiente. Sem pernas, ele promete: "Se roubar, não vou conseguir fugir".

Na resposta da emissora, a carta é dada como "uma iniciativa contra a liberdade de criação e expressão artística" _e "neste caso sugerimos que as pessoas verdadeiramente interessadas se empenhem mais em mudar a realidade do que em criticar a ficção".

Ao fundo, Fabíola Reipert noticou ontem na Folha Online a declaração de "importante executivo da Globo", sobre o "CQC" da Band: "Agora, sim, o 'Casseta' tem sucessor à altura".

Ato contínuo, Flávio Ricco postou que a Globo está "de olho no 'CQC'". E o site Tela Viva noticiou que a "Band licencia a marca CQC".

Para contraste, as paródias da propaganda eleitoral por "Casseta" e "CQC", preconceituosa na primeira, crítica na segunda:

  

Leia também a entrevista com Danilo Gentili hoje na Folha Online.

Escrito por Nelson de Sá às 10h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Políticos, economistas, mercados, todos "céticos"

"NYT" e "WSJ" confirmam que as negociações avançaram no Congresso, com o governo republicano aceitando maior "supervisão", mas os congressistas democratas, economistas em geral e os próprios mercados se mostraram "céticos", ontem, quanto aos resultados do pacote. Daí a queda do dólar e de Wall Street e a disparada do petróleo.

Paralelamente, sublinharam "WSJ" e "FT", o Fed escancarou as portas do setor bancário para fundos soberanos, corporações e quem mais quiser.

Na campanha, o "NYT" começa a focar atenção no debate programado para sexta-feira, avaliando na capa as perspectivas de desempenho do "vulnerável" Barack Obama e do "agressivo" John McCain.

 

 

Para as imagens originais, "NYT" ("enlarge this image") e "WP". Com acesso restrito, "WSJ" e "FT". "NYT" e "WP" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E "NYT", "WSJ" e "WP" no Newseum (por Estado americano, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 09h17

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hu também quer pacote

Até o "China Daily" deu foto para Tina Fey e Alec Baldwin no Emmy.

Mas a manchete de papel foi para a queda do "chefe de qualidade", pelo escândalo do leite contaminado, enquanto o site destaca, agora, a queda nas ações das três maiores companhias de laticínios.

O jornal detalha a conversa entre George W. Bush e Hu Jintao, que sai em defesa do pacote de ajuda aos bancos e diz esperar resultados "para breve".

Escrito por Nelson de Sá às 09h07

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

À espera de Washington

Folha, "Globo" e "Estado" destacam a resistência ao pacote de ajuda aos bancos no Congresso dos EUA e até no G7, o grupo dos países ricos.

O "Valor" é mais otimista e vê "avanço" no Congresso, após a aceitação de "supervisão" pela Casa Branca, como queriam os democratas.

Na campanha, o "Estado" dá foto de Geraldo Alckmin e Gilberto Kassab no alto e afirma que "fracassa a tentativa de estancar crise tucana", com novos ataques do tucano ao prefeito "democrata".

E em Porto Alegre, diz o "Valor", "PT corre risco de derrota histórica". Pela primeira vez em 20 anos, pode nem passar para o segundo turno.

 

 

Para as imagens originais, Folha ("fac-símile da capa"), "Valor" e "Estado". Com acesso restrito, "Globo". Folha, "Valor", "Globo" e "Estado" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E Folha, "Globo" e "Estado" no Newseum (por país, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 08h16

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

6,8%

No enunciado dos portais e depois dos telejornais, ontem, "14 milhões subiram de faixa social" no Brasil, dos quais "3,6 milhões passaram da classe intermediária para a classe mais alta", segundo o Ipea.

Até Fátima Bernardes sorriu, no "Jornal Nacional":

Disputando manchetes e escaladas com o Ipea, o CNT/Sensus confirmou ontem a "aprovação recorde" do governo e de Lula. Com 6,8% de avaliação negativa, virou "o maior cabo eleitoral do país", no destaque da Reuters Brasil. Não demorou para sites responderem que Lula pode até bater recorde, "mas não transfere votos a Dilma", que segue atrás de José Serra, Aécio Neves etc.

Mas o blog de Fernando Rodrigues no UOL alertou para "o que há de mais relevante" na pesquisa, a dois anos da eleição: Dilma Rousseff alcança entre 8,4% e 12,3% das intenções de voto, enquanto o "mito" petista de Marta Suplicy fica entre 5,9% e 8,8%.

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 07h58

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A noite do cabo (e de Tina Fey)

"NYT" e "WP" destacam o prêmio Emmy para "Mad Men", a série da HBO sobre os "homens da Madison", a avenida das agências de publicidade em Nova York. São os publicitários que venderam os anos 60. No enunciado dos jornais, a primeira vitória de um "drama de cabo", TV paga, em uma "noite do cabo" no Emmy.

Mas as imagens foram para a série cômica "30 Rock", de Tina Fey, comediante que vem confrontando Barack Obama em outro programa, o "Saturday Nigh Live", primeiro em favor de Hillary Clinton, mais recentemente representando Sarah Palin. O "SNL" é dirigido por um amigo de John McCain.

Nas entrevistas após sua premiação, sublinhou o liberal Huffington Post, ela lamentou que desde o esquete como a vice republicana seu filho, quando vê imagens de Sarah Palin, diz "é a mamãe". E pediu ajuda para não interpretar mais o personagem, quer dizer, votos em Obama, a partir de 5 de novembro, dia da eleição.

PS - Por falha do blogueiro, o post entrou atrasado.

Escrito por Nelson de Sá às 10h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O fim do modelo

"NYT", "WP" e "FT" destacam e o "WSJ" dá manchete para a "mudança radical" de Goldman Sachs e Morgan Stanley, os últimos bancos de investimento independentes dos EUA, em holdings bancárias, "sujeitas a maior regulação". Foi anúncio do Fed, à noite.

Para o "WSJ", a medida "faz em pedaços o modelo de Wall Street" para bancos de investimento. Que é o modelo seguido no Brasil.

"NYT", "WP" e "FT" abrem com as demandas do Congresso democrata para aprovar o pacote de US$ 700 bilhões do secretário do Tesouro. "Fiscalização é a questão", diz o "NYT", citando também a negociação por ajuda aos proprietários endividados de imóveis.

E outras financeiras, alerta o jornal, já fazem lobby para o pacote não se limitar à crise de crédito imobiliário, abrangendo papéis podres em geral.

Por outro lado, sublinha o "FT", o braço financeiro da General Electric já está atrás de barganhas no mercado de dívida imobiliária.

 

 

Para as imagens originais, "NYT" ("enlarge this image") e "WP". Com acesso restrito, "WSJ" e "FT". "NYT" e "WP" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E "NYT", "WSJ" e "WP" no Newseum (por Estado americano, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 08h59

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hu & Bush

O "China Daily" destaca que o Congresso americano "pesa" o pacote do secretário do Tesouro. E, sem detalhar, noticia que o presidente Hu Jintao falou pelo telefone com George W. Bush sobre a crise.

A versão em papel abre manchete para o governo do Paquistão, que acusou a Al Qaeda pelo atentado do fim de semana em Islamabad. E o site abre nesta manhã com a renúncia do "chefe de qualidade da China", diante do crescente escândalo sobre contaminação de leite infantil, já com 13 mil crianças doentes.

Escrito por Nelson de Sá às 08h53

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

EUA sozinhos

Folha e "Estado" abrem com a tentativa do secretário do Tesouro de convencer outros países a adotar o pacote de resgate dos bancos. Mas o plano foi recebido com reservas por Reino Unido e Alemanha.

O "Valor" dá manchete para reportagem do "WSJ", afirmando que o Congresso "interfere" no pacote. E destaca também que "Crise não ocorreria no Brasil, diz Roberto Setúbal", presidente do Banco Itaú. Argumenta que aqui "as regras de supervisão são mais rígidas".

E Octavio de Barros, diretor no Bradesco, diz à coluna Mercado Aberto que, "tão logo a ação do Tesouro americano se efetive, é possível supor que se restaure o clima de volta da confiança dos mercados" e assim "a roda do crédito volta a girar". Mas só em "um a dois anos".

Como a Globo, o "Globo" dá com foto a Caminhada pela Liberdade Religiosa em Copacabana. "Uma das motivações", diz, "foi a depredação de um centro espírita em junho por quatro jovens evangélicos".

 

 

Para as imagens originais, Folha ("fac-símile da capa"), "Valor" e "Estado". Com acesso restrito, "Globo". Folha, "Valor", "Globo" e "Estado" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E Folha, "Globo" e "Estado" no Newseum (por país, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 08h22

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Humildade, humildade

O secretário do Tesouro fez campanha pelo pacote de US$ 700 bilhões nos programas dominicais de entrevistas dos EUA. Nas redes NBC, ABC e CBS e no canal republicano Fox News, pressionou os democratas por aprovação sem emendas. A manchete on-line do "NYT", no fim do dia, arriscou que "emerge apoio bipartidário".

Mas o Congresso democrata ainda queria em troca o apoio a um plano de estímulo à economia. De seu lado, para consumo eleitoral, os republicanos questionavam o pacote pelo apoio a bancos estrangeiros. Na frase de maior efeito, Henry Paulson decretou, na Fox News:

_ É hora de humildade, humildade [humbling, humbling time] para os Estados Unidos da América.

O "Financial Times" perguntou a William Rhodes, vice do Citigroup e que comandou pelos credores a negociação da dívida de Brasil e outros, se "a América está hoje em pior estado do que a América Latina" nos anos 80. Respondeu que é "diferente", que o "mercado é maior". Mas, sim, é a pior crise que ele já viu "e provavelmente a pior desde a Grande Depressão".

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 07h50

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores
Blog da coluna "Toda Mídia" (assinantes Folha e UOL), de segunda a sexta, pela manhã, escrito pelo jornalista Nelson de Sá.

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha Online.