Toda Mídia
Toda Mídia
 

Investimento, o retorno?

Em semana que parece terminar em outro diapasão, ao menos no Brasil, a manchete do site Meio & Mensagem afirma que o "Investimento em mídia no país deve crescer 30%" em 2009, referência à publicidade em jornais, internet, televisão, rádio etc.

A previsão da ZenithOptimedia para o ano "coloca o Brasil à frente inclusive de China e Índia", com crescimento de 13% e 9% cada uma. Os Brics e emergentes em geral compensariam a queda de 6,2% nos EUA.

Nas mesma linha, a Record fecha 2008 com 30% de crescimento, faturamento superior a US$ 1 bilhão e "continua acelerando", segundo seu vice-presidente Walter Zagari, no site Tela Viva. "As últimas grandes crises mostram que empresas que não fizeram nada perderam share."

A rede vai investir em teledramaturgia, estabelecendo grade com três novelas em seguida ao "Jornal da Record", uma delas a primeira produção com a mexicana Televisa. Vai investir em "reality TV", com "A Fazenda", "O Aprendiz", "Ídolos". E em filmes, com "Tropa de Elite" e hollywoodianos.

Vai investir em jornalismo, com correspondente na África e três programas na Record News, um deles de análise política, de Brasília. Segundo a coluna Todo Canal, também a rádio Record "está montando rede em todo o país, com 100 emissoras, que deve operar já no começo do ano".

A coluna e o blog voltam na segunda-feira.

Escrito por Nelson de Sá às 11h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Agora, à falência

"NYT" e "WP" abrem manchete para o "colapso" do plano de resgate do setor automobilístico no Senado, devido à resistência republicana, e para a perspectiva de "colapso" financeiro de GM e Chrysler até o fim do mês. Uma última saída seria apelar aos recursos do resgate dos bancos, dizem os dois jornais e o "WSJ".

O "FT" destaca artigo de Joseph Stiglitz contra o resgate das montadoras, dizendo que elas "têm de pagar por seus erros" e abrir falência.

Na manchete, o jornal sublinha a queda do dólar, pelos números ruins no comércio externo americano.

"WSJ" abre manchete e "NYT" e "FT" destacam a prisão do ex-presidente da bolsa Nasdaq por "vasta fraude", de "proporções épicas".

Sobre o escândalo de Chicago, o "WP" diz que Barack Obama eleito buscou distância do controverso governador desde o princípio.

 

 

Para as imagens originais, "NYT" ("enlarge this image") e "WP". Com acesso restrito, "WSJ" e "FT". "WP" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E "NYT", "WSJ" e "WP" no Newseum (por Estado americano, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 10h06

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O novo xerife global

Na manchete do site, o debate no governo chinês sobre uma operação militar nas "águas turbulentas da Somália".

Na de papel, a "rejeição" por Pequim das explicações do francês Nicholas Sarkozy, dizendo que "não queria ofender a China com o encontro com o Dalai Lama".

Na foto, o provável indicado de Barack Obama para secretário de Energia, o Nobel de física Steven Chu ou Zhu Diwen, "chinês étnico" filho de imigrantes de Jiangsu.

Escrito por Nelson de Sá às 09h30

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Para esquecer os juros

Os quatro jornais abrem com o pacote. Folha, "Globo" e "Estado" destacam a redução do Imposto de Renda para a "classe média".

O "Valor" totaliza o corte nos três impostos, US$ 8,4 bilhões, e sublinha a promessa do ministro da Fazenda aos 29 empresários reunidos em Brasília de que "não serão as últimas medidas".

Em segundo destaque no "Valor", a decisão do governo de usar as reservas para ajudar empresas privadas e estatais com dívida externa já "derruba o dólar". E a coluna sobre mercado de câmbio informa que o "sinal de corte da Selic já em janeiro", pelo Banco Central, já "provoca pesada queda nos juros futuros". 

Sobre a reserva Raposa Serra do Sol, o "Estado" noticia que a "Decisão do Supremo vai acelerar demarcação de mais quatro reservas". E a Folha, que os fazendeiros "dizem que não vão sair" e aguardam os votos de Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes, já derrotados.

 

 

Para as imagens originais, Folha ("fac-símile da capa"), "Valor" e "Estado". Com acesso restrito, "Globo". Folha, "Valor", "Globo" e "Estado" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E Folha, "Globo" e "Estado" no Newseum (por país, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 08h48

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Um dia histórico

A decisão da maioria do Supremo sobre a reserva Raposa Serra do Sol correu mundo. A Al Jazeera em inglês entrou com seu correspondente na praça dos Três Poderes, em meio aos índios, saudando "um dia histórico" apesar do pedido de vista e considerando o "caso encerrado". Já a BBC do correspondente Gary Duffy falou em "meia celebração" pelos índios e afirmou que, com o adiamento, "o conflito deve continuar".

Por sites próprios e agências de notícias, organizações como Survival International, voltada aos povos sob risco, e a Agência Católica para o Desenvolvimento Internacional celebraram a "notícia fantástica".

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 08h32

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O jornal conversa

Júlio Hungria informa no Blue Bus que o "NYT" lançou "Conversations", campanha para promover seu site e os recursos de multimídia e interação, com celebridades como Cynthia Nixon, a Miranda de "Sex and the City". Começa "na mesma semana em que a controladora The New York Times Co. anunciou que vai hipotecar sua sede".

Os 12 vídeos já estão no site e em seu canal no YouTube. Abaixo, o depoimento da atriz, que vem de ganhar um prêmio Tony e que diz buscar, no NYTimes.com, "teatro, teatro, teatro":

Escrito por Nelson de Sá às 11h26

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Estamos vivos"

A "Tribuna da Imprensa" circula hoje. Mas, avisa o editor Hélio Fernandes, "infelizmente ainda não é a volta. É apenas um agradecimento às milhares de pessoas que se comunicam conosco diariamente. Nossos sites vivem maravilhosamente engarrafados, é a maneira de agradecermos e gritar bem alto: 'Estamos vivos'".

Fernandes também registra a resposta do ministro Joaquim Barbosa, alvo de campanha do jornal por não aprovar uma indenização pela repressão sofrida na ditadura: "Como todos que apoiaram esta 'Tribuna', lamento a interrupção, momentânea, da sua circulação. Mas lamento também o constrangimento do ministro relator".

Escrito por Nelson de Sá às 11h17

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Abafa e explora

"NYT" e "WSJ" seguem com o escândalo da venda da vaga de Barack Obama pelo governador democrata de Illinois.

No jornal liberal, o pedido do presidente eleito para que ele deixe o cargo e não indique o novo senador. No jornal conservador, o envolvimento do filho do ativista negro Jesse Jackson, que teria oferecido US$ 500 mil ao governador pela indicação.

Da crise, o "WP" abre manchete para a aprovação do pacote de ajuda às montadoras, ontem à noite na Câmara, mas alerta para obstáculos no Senado. E o "FT" destaca a cobrança de maior supervisão do Tesouro sobre o pacote de ajuda aos bancos.

"WSJ" e "FT" também ressaltam as importações e exportações em queda na China, que promete reação.

O "NYT" abre foto e relata um massacre no Congo, de 150 jovens, apesar da presença da ONU a um quilômetro.

Para as imagens originais, "NYT" ("enlarge this image") e "WP". Com acesso restrito, "WSJ" e "FT". "WP" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E "NYT", "WSJ" e "WP" no Newseum (por Estado americano, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 10h16

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Juros vão cair mais, lá

O jornal de papel dá na submanchete que as "exportações caem pela primeira vez em sete anos". O site diz que exportações e importações "mergulham". Na manchete on-line, já em resposta, a inflação em novembro caiu para a menor taxa em 22 meses, "abrindo espaço para o banco central cortar as taxas de juros".

Na manchete de papel, o fim da conferência de economia do país, que fechou defendendo buscar um "crescimento estável e relativamente rápido" para 2009.

Escrito por Nelson de Sá às 09h54

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nada do Banco Central, "ainda"

A Folha abre com os juros mantidos, apesar da pressão de Lula. Os três outros registram em letras menores, dizendo que o Banco Central "confirma as expectativas", até "discute a redução, mas" decide não cortar a taxa "ainda".

"Valor", na manchete lateral, "Globo" e "Estado" destacam antes o pacote do Ministério da Fazenda que prevê redução do Imposto de Renda para manter a economia em crescimento, apesar do Banco Central.

Por outro lado, o jornal financeiro abre com a queda livre nos preços de energia no país. Até meses atrás se temia "falta de energia em 2009".

E apesar das manobras de Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes os enunciados de "Estado", "Globo" e Folha saem hoje com a reafirmação da reserva indígena em Roraima pelo Supremo, em maioria. Em suma, "terra é de índios, sem fazendeiros".

Para as imagens originais, Folha ("fac-símile da capa"), "Valor" e "Estado". Com acesso restrito, "Globo". Folha, "Valor", "Globo" e "Estado" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E Folha, "Globo" e "Estado" no Newseum (por país, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 09h06

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Não no Brasil"

O "New York Times" deu reportagem anunciando que "a bolha dos jornais também estourou", falando das redes Tribune, Gannett, McClatchy. E o "FT" noticiou que o mesmo "NYT" estuda vender ativos para enfrentar sua dívida. No "Washington Post", um colunista previu "consolidação massiva na indústria de jornais".

"Not so in Brazil", não no Brasil. Por aqui, segundo reportagem postada ontem no site The Huffington Post e ecoada no site do "Guardian", a mesma indústria de jornais vive um "boom". Para ilustrar, o site entrevista o dono de banca Salvador Neves, para quem o setor "está se segurando bem", e se estende nos números, focando o avanço da classe C.

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 08h45

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Crise? Que crise?

Mônica Bergamo informa na Folha que a rede Canção Nova, vinculada à Renovação Carismática, reuniu no fim de semana a ministra Dilma Rousseff e governador José Serra. Também Gilberto Carvalho, chefe de gabinete de Lula, e Lurian, filha do presidente. E também o prefeito Gilberto Kassab e o vereador Gabriel Chalita.

Foi um encontro em Cachoeira Paulista, para "recolhimento e oração". Abaixo, na foto de Lucilene Silva, o padre Cleidimar Moreira:

E Flávio Ricco comenta, no UOL, ecoando a notícia de que o missionário R.R. Soares negocia a compra de parte da Rede TV!:

_ Crise, que nada. As igrejas do Brasil continuam vivendo nababescamente e atacando como se nada estivesse acontecendo. A Igreja Mundial do Poder de Deus, que loteou a rede 21 da Band, agora fechou negócio com a Rede Mercosul do Paraná. Já é responsável pela programação na faixa das 18h até as 12h do dia seguinte. Isso, com a bênção dos nossos governantes, que reclamam da baixa qualidade mas jamais se atrevem a interferir em possíveis redutos de seus votos.

Escrito por Nelson de Sá às 11h28

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Obama e a corrupção, antes mesmo da posse

Os quatro jornais abrem com o escândalo da venda da cadeira de Barack Obama pelo governador de Illinois, retratado em foto nas quatro capas.

O "WP" sublinha que o presidente eleito "mantém distância" e "os procuradores afirmam que não há evidências de envolvimento" seu. Já o "WSJ" dá na capa a gravação em que o governador diz que "eles não querem me dar nada [em troca da indicação de um novo senador próximo a Obama] a não ser elogios", mas isenta o presidente eleito.

O "NYT" perfila o governador democrata como "protagonista de um teatro da corrupção absurda", desde sua posse em 2002, e o descreve como "vingativo e profano", o que explicaria a desfaçatez dos diálogos gravados pelo FBI, a Polícia Federal americana.

Sobre a crise, "FT" e "NYT" ressaltam que, temerosos de piora na "recessão global", investidores já compram títulos americanos com rendimento negativo, ou seja, pagam pelo refúgio no Tesouro.

"WSJ" e "WP" ressaltam que está próximo o acordo para a aprovação do pacote de ajuda às montadoras.

 

 

Para as imagens originais, "NYT" ("enlarge this image") e "WP". Com acesso restrito, "WSJ" e "FT". "WP" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E "NYT", "WSJ" e "WP" no Newseum (por Estado americano, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 10h41

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A crise e os aviões de Sarkozy

Nas manchetes de papel e on-line do jornal estatal, "Compras de aviões aterrissam". É que o governo "encorajou" as companhias aéreas a "suspender as aquisições dos fabricantes estrangeiros", argumentando com "a crise financeira global".

A reportagem registra que entre os pedidos a serem suspensos estão os 160 aviões contratados junto à Airbus, em acordo assinado em novembro pelos presidentes Hu Jintao e Nicholas Sarkozy. O francês é alvo de ataques diários no jornal chinês, por seu apoio ao tibetano Dalai Lama.

Escrito por Nelson de Sá às 10h14

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Quase chinês

Nos enunciados sobre o crescimento recorde do Brasil no terceiro trimestre, consternação no "Valor", com "PIB crescia quase em ritmo chinês", e ironia no "Globo", com "Crise freia país no auge do seu crescimento" e "Vai ser bom, não foi?".

Nos editoriais, títulos como "Auge de um ciclo", na Folha, e "PIB velho", no "Globo". E "economistas e consultorias" ou "analistas" prevêem retração agora, no "Estado" e demais.

Na direção contrária, o ministro da Fazenda anuncia hoje pacote de estímulo, com redução de impostos, registram "Estado" e Folha.

Nas manchetes on-line de ontem, a declaração de Lula de que "tem gente rezando para que a crise pegue o Brasil para o Lula se lascar" não aparece hoje nas capas.

Sobre o julgamento da reserva Raposa Serra do Sol, o "Estado" adianta que "o Supremo deve manter a demarcação contínua, mas afirmando que a Funai não pode controlar o acesso às terras".

 

 

Para as imagens originais, Folha ("fac-símile da capa"), "Valor" e "Estado". Com acesso restrito, "Globo". Folha, "Valor", "Globo" e "Estado" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E Folha, "Globo" e "Estado" no Newseum (por país, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 09h26

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Tem que dar porrada!"

José Luiz Datena narrou em êxtase a perseguição de um carro, ontem no "Brasil Urgente", ao vivo. "Quase bateu! Bateu agora! É a primeira vez que eu vejo isso! É a primeira vez na televisão brasileira!"

Mas a cena prosseguiu e os policiais espancaram o motorista. Ao vivo, o "repórter aéreo" censurou a cena, mas o apresentador reagiu, "pode mostrar, tem que dar porrada mesmo!". No final da transmissão, o motorista surgiu de relance, desacordado.

O "Jornal da Band" deu e festejou a perseguição na escalada, depois, e também censurou o espancamento. Nas reproduções no YouTube, também, nada do espancamento:

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 09h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Concessão à venda

A coluna Zapping, do "Agora", informa que "o missionário R.R. Soares, que tem horários em emissoras abertas com programação religiosa, está negociando compra de parte da Rede TV!".

Escrito por Nelson de Sá às 10h53

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Quase estatização

Os quatro jornais abrem no alto o resgate de US$ 15 bilhões à indústria automobilística americana, que avança no Congresso, com um acordo a princípio, inclusive "com Bush".

Tanto "NYT" como "WSJ" sublinham que o governo, pelo plano, passa a deter parte das "três grandes", GM, Ford e Chrysler. "Não é nacionalização, mas chega perto."

"FT" e os demais destacam a confirmação do pedido de concordata da cadeia de jornais Tribune Co., que edita "Los Angeles Times" e "Chicago Tribune", entre outros.

Por outro lado, também em meio a dificuldades, a NBC conseguiu fechar com o apresentador líder de audiência Jay Leno para continuar na rede, agora em horário nobre, ressaltam "NYT" e demais.

E o "WP" traz na capa, desde Vitória, no Espírito Santo, que Vale e outras empresas passaram a formar seus profissionais no Brasil. No país, 5% dos formandos universitários são engenheiros, "muito abaixo das taxas da China", por exemplo. Aliás, "o Brasil não tem uma só universidade entre as cem melhores" do mundo.

 

  

Para as imagens originais, "NYT" ("enlarge this image") e "WP". Com acesso restrito, "WSJ" e "FT". "WP" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E "NYT", "WSJ" e "WP" no Newseum (por Estado americano, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 10h04

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais e mais estímulo

A manchete no site do jornal ressalta que, além de estar mais próximo o resgate às montadoras nos EUA, a China estuda os "próximos passos" para ampliar o estímulo à economia, em sua Conferêncial Central de Trabalho Econômico.

Na manchete de papel, é "muito provável" que o governo chinês "inicie cortes nos impostos das empresas", aponta a conferência. Na foto, indicadores da bolsa de Hong Kong em alta, ontem.

Escrito por Nelson de Sá às 09h44

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

6,8%

Em contraste com a crise, os sites dos jornais destacam neste momento que o PIB cresceu 6,8% no terceiro trimestre em relação ao ano passado.

No papel, Folha e "Valor" destacam a alta de ontem nas Bolsas, "com os planos de Obama" e também, no caso brasileiro, da China.

O jornal financeiro dá manchete para a nova linha de empréstimo em estudo, com recursos das reservas "a exemplo do que já foi feito para o comércio exterior", para financiar a rolagem da dívida do setor privado.

Já o "Estado" destaca a arrecadação 6% menor do que o previsto para novembro. E o "Globo" registra que a deflação de 0,55% nos alimentos é "desafio" para o Banco Central, que quer manter a taxa de juros, apesar da pressão de Lula e até dos bancos federais, segundo a Folha.

Na véspera da decisão do Supremo sobre a reserva Raposa Serra do Sol, a Folha abre foto de índios em Brasília e relata que o líder dos fazendeiros que ocupam a área indígena ameaça atirar nos que "invadirem".

 

 

Para as imagens originais, Folha ("fac-símile da capa"), "Valor" e "Estado". Com acesso restrito, "Globo". Folha, "Valor", "Globo" e "Estado" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E Folha, "Globo" e "Estado" no Newseum (por país, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 08h34

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

As reservas

No final de novembro, a "Economist" publicou uma longa reportagem com elogios ao Brasil pela estratégia adotada ao lidar com os Ticuna, do Alto Solimões. "Os resultados da política de reservas na área são impressionantes... As reservas são um ponto alto na história dos contatos [com índios] no Brasil." O site da revista voltou a postar sobre a região, ontem, com um "diário de correspondente".

E no domingo foi a vez do "New York Times", em alto de página no primeiro caderno, com o enunciado "Uma tribo no Brasil se esforça no cruzamento de drogas e culturas". O jornal desenha um quadro menos otimista para os Ticuna, dizendo que a área virou foco do tráfico de drogas, na fronteira com o Peru e a Colômbia. Na foto de Lalo de Almeida, aberta pelo jornal, o mercado de Tabatinga:

As reportagens no exterior antecedem a decisão a ser tomada pelo Supremo sobre a reserva Raposa Serra do Sol, a partir de amanhã. O enviado da BBC Brasil relata que "a tensão cresce" em Roraima, à espera.

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 08h20

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Séries, a saída?

A repercussão da série "Alice", sobre uma jovem de Tocantins que passa a morar na cidade de São Paulo, produção brasileira da americana HBO, prenunciou uma corrida às séries na TV aberta.

Fabíola Reipert noticia que "o maior investimento da MTV para o ano que vem, R$ 5 milhões", serão os 13 episódios de "Descolados", uma produção da Mixer. "Conta a história de três jovens que passam a morar juntos na cidade de São Paulo."

A Globo também testa duas séries, informa Daniel Castro: "Aline", baseada nas tiras de Adão Iturrusgarai, será especial de fim de ano; e uma série policial, também não inteiramente aprovada, já está sendo escrita pelos roteiristas Marçal Aquino e Fernando Bonassi.

E o Ministério da Cultura, alerta o site Tela Viva, lança amanhã em São Paulo um edital para séries de TV para veiculação na Rede Pública de Televisão, em todo o país, financiando produções que "proponham uma visão original sobre a juventude das classes C, D e E".

Escrito por Nelson de Sá às 11h54

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O pior ano, o melhor ano

Ricardo Feltrin noticiou no UOL que, "das cinco maiores redes de TV aberta, somente a Globo perdeu ibope em seu principal produto jornalístico". No ano, o "Jornal Nacional" perdeu 4% de audiência, para 32,6 pontos. Já o "Jornal da Record" cresceu 14%, para 11,4 pontos.

Fabíola Reipert acrescenta no "Agora" a Globo vai encurtar "Negócio da China" em três semanas "devido à baixa audiência", média de 22 pontos.

E Daniel Castro informa que "até novembro a Globo marcava média diária, das 7h à 0h, de 19,3 pontos no Ibope nacional" e que seus piores resultados anteriores foram em 2001 e 2007, com 20,3 pontos:

_ Será o pior ano para a Globo no Ibope. Mas será o melhor no faturamento: a rede deve fechar 2008 com uma receita de R$ 7,7 bilhões, quatro vezes mais do que a Record.

Escrito por Nelson de Sá às 10h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Intervenção divina (ou estatal)

"NYT" e "WSJ" abrem fotos de SUVs num culto pentecostal em Detroit, onde as orações foram pelo "resgate de Deus" para a indústria automobilística. Nos enunciados, "Orando por um milagre" e "Intervenção divina".

O primeiro e o "WP" destacam que o resgate para GM, Ford e Chrysler deve incluir controle governamental. O segundo, que a pressão abrange a queda de Rick Wagoner, presidente da GM.

O "WSJ" destaca também que o presidente do banco Merril Lynch propôs um bônus de US$ 10 milhões para si mesmo, mas o conselhor diretor "resiste".

O "FT" o "caminho para a recuperação" delineado por Barack Obama no fim de semana, em entrevista à NBC, priorizando "estímulo, não déficit".

Na manchete lateral do "NYT", a notícia de que o serviço de inteligência do Paquistão financiou o grupo terrorista que atacou Mumbai, na Índia.

 

 

Para as imagens originais, "NYT" ("enlarge this image") e "WP". Com acesso restrito, "WSJ" e "FT". "WP" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E "NYT", "WSJ" e "WP" no Newseum (por Estado americano, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 09h46

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Pelo menos 8%"

As manchetes de papel e do site destacam a Conferêncial Central de Trabalho Econômico, a partir de hoje. A reunião vai "definir o tom da política econômica para 2009" e como enfrentar "o desafio de garantir crescimento de pelo menos 8%, levando adiante, ao mesmo tempo, a reestruturação econômica da nação". E os "empregos estão no topo da agenda".

O jornal também destaca a crítica chinesa ao encontro entre o francês Nicholas Sarkozy e o Dalai Lama.

Escrito por Nelson de Sá às 09h21

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Agora, a rolagem da dívida

O "Estado" abre com relatório do BIS, o banco dos bancos centrais, alertando para a crescente dependência dos emergentes, Brasil inclusive, em relação aos grandes bancos internacionais.

O "Valor" acrescenta que "a degradação dos bancos pode complicar para o Brasil a rolagem de US$ 60 bilhões de dívida de curto prazo", segundo o BIS. Mas "boa parte é em moeda local, feita pelas subsidiárias, e com isso o país está mais protegido do que outros emergentes, como a Índia".

O jornal destaca, também da crise, que a encomenda de máquinas e equipamentos no país e no exterior caiu "pela metade".

A Folha abre com o Datafolha, que aponta crescimento do tucano José Serra na intenção de voto para a eleição presidencial daqui a dois anos. E registra que a "direção do PT", inclusive José Dirceu, "critica a política econômica do governo e o PSDB".

 

 

Para as imagens originais, Folha ("fac-símile da capa"), "Valor" e "Estado". Com acesso restrito, "Globo". Folha, "Valor", "Globo" e "Estado" também no PressDisplay (lista por país, à esq.). E Folha, "Globo" e "Estado" no Newseum (por país, à esq.).

Escrito por Nelson de Sá às 08h35

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Do papel ao site

O "New York Times" noticiou no sábado que a terceira cadeia de jornais dos EUA, a McClatchy, busca comprador para o "Miami Herald".

E o site do "Wall Street Journal" noticiou ontem à noite, seguido pelo mesmo "NYT", que a primeira cadeia de jornais dos EUA, a Tribune Co., que publica "Los Angeles Times" e "Chicago Tribune", se prepara para entrar com "pedido de falência" já nesta semana.

Uma semana atrás, o site de cobertura política The Huffington Post, marcadamente democrata e que prioriza links para terceiros, fez uma capitalização em plena crise financeira e levantou US$ 25 milhões.

No final da semana, o NYT.com lançou "Times Extra", home alternativa, em fase Beta, incorporando links para terceiros, como o HuffPost.

Leia aqui a íntegra da coluna "Toda Mídia" de hoje.

Escrito por Nelson de Sá às 08h25

Comente | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores
Blog da coluna "Toda Mídia" (assinantes Folha e UOL), de segunda a sexta, pela manhã, escrito pelo jornalista Nelson de Sá.

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha Online.